RELATÓRIO DESCRITIVO

DAVID RAMOS DE BARROS
Prefeito
MARIA GORETE SANTOS SANTANA
Secretária de Saúde
MARIA SUZYANE SANDES FILHO
Coordenação de Atenção Primária
FABIANA FERREIRA BISPO
Coordenação da Vigilância em Saúde
MARIA SUZYMILLE DE SANDES FILHO
Coordenação de Saúde Bucal
ANA PAULA MOURA PINHEIRO
Coordenação de Assistência Farmacêutica
ANDRÉ LUÍS CHAVES VALENTE
Diretor Médico e Responsável – Hospital de Campanha

SUMÁRIO
Apresentação
1. INTRODUÇÃO
2. POLÍTICAS ADOTADAS E RESULTADOS
2.1 Criação do Grupo Técnico de Enfrentamento à COVID-19
2.2 Elaboração do Plano de Contingência Municipal do Novo Coronavírus
2.3 Aquisição de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs)
2.4 Aquisição de testes rápidos para diagnóstico
2.5 Distribuição de máscaras de tecido e kits de higiene para a população
2.6 Segurança alimentar
2.7 Barreiras Sanitárias
2.8 Sanitização das ruas e órgãos públicos
2.9 Organização do comércio local e correspondentes bancários
2.10 Protocolo Terapêutico para Tratamento Precoce
2.11 Aquisição de medicamentos
2.12 Atenção Primária à Saúde
2.12.1 Equipes da Estratégia de Saúde da Família
2.12.2 Atendimentos
2.12.3 Estrutura e funcionamento
2.13 Vigilância em Saúde
2.14 Centro de Atenção Psicossocial – CAPS
2.15 Serviço de Atendimento Domiciliar – SAD (Programa Melhor em Casa)
2.16 Clínica de Especialidades
2.17 Programa de Valorização da Melhor Idade

2.18 Hospital Municipal José Enoque de Barros
2.19 Central de Triagem
2.20 Hospital Municipal de Campanha contra a COVID-19
2.20.1 Estrutura
2.20.2 Equipe
2.20.3 Equipamentos, materiais e insumos
2.20.4 Serviços
REFERÊNCIAS
ANEXOS
ANEXO A – DECRETO Nº 09 – INSTITUI O GRUPO TÉCNICO CONTRA DO CORONAVÍRUS – GT NCOV
ANEXO B – FICHA DE NOTIFICAÇÃO
ANEXO C – TERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE E ESCLARECIDO
ANEXO D – TERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE E ESCLARECIDO
ANEXO E – INSTRUÇÃO NORMATIVA SOBRE SEGURANÇA ALIMENTAR
ANEXO F – PROTOCOLO TERAPÊUTICO DE TRATAMENTO
ANEXO G – FICHA DE AVALIAÇÃO PARA USO DO CETOTIFENO

Apresentação
A doença causada pelo novo coronavírus, chamada COVID-19, foi considerada pela Organização Mundial de Saúde (OMS) como uma Emergência em Saúde Pública de Importância Internacional. No Brasil, o primeiro caso foi confirmado em 26 de fevereiro de 2020. Desde então, foram adotadas medidas de prevenção e controle por todas as unidades federativas. Em Alagoas, o primeiro caso foi confirmado em 08 de março de 2020, o que acendeu um alerta para todos os municípios alagoanos.
Sendo assim, o presente relatório tem como objetivo apresentar as medidas e ações implementadas pelo município de Girau do Ponciano, no que diz respeito ao enfrentamento da pandemia de COVID-19.
1. INTRODUÇÃO
O novo coronavírus, denominado SARS-CoV-2, é o patógeno causador da doença COVID-19, sendo detectado em 31 de dezembro de 2019 em Wuhan, na China. Em 9 de janeiro de 2020, a Organização Mundial da Saúde (OMS) confirmou a circulação do novo coronavírus. No dia 30 de janeiro, a OMS declarou a epidemia uma emergência internacional (PHEIC). Assim, no final do mês de Janeiro já havia casos confirmados em diversos países, a exemplo dos Estados Unidos, Canadá e Austrália. No Brasil, o primeiro caso foi confirmado em 26 de fevereiro (LANA et al., 2020). Em relação à evolução viral e a patogenicidade do coronavírus, estas ainda são desconhecidas. Sabe-se que a doença apresenta uma baixa letalidade, em torno de 3%, no entanto apresenta uma elevada transmissibilidade. Tal fato, associado a ausência de vacina contra o 2019-nCoV reforça que a adoção de medidas de prevenção contra a infecção, preconizadas pela OMS, a exemplo da lavagem básica das mãos, utilização de máscaras e distanciamento social são essenciais para o controle adequado da doença (BELASCO; FONSECA, 2020). No que tange aos profissionais de saúde, o uso correto dos equipamentos de proteção individual, como óculos de proteção ou protetor facial, máscara cirúrgica/N95, avental, luva de procedimento e lavagem das mãos são essenciais na prestação da assistência aos casos suspeitos ou confirmados (BELASCO; FONSECA, 2020). Considerando a elevada transmissibilidade da doença, é necessário que sejam adotadas medidas em todo o território nacional, possibilitando assim um melhor controle da doença, sua prevenção e evitando o colapso do Sistema Único de Saúde.
2. POLÍTICAS ADOTADAS E RESULTADOS
2.1 Criação do Grupo Técnico de Enfrentamento à COVID-19
Em 17 de março de 2020, foi nomeado o GT de Enfrentamento à COVID-19, através do Decreto Municipal nº 09/2020 (Anexo A). Este é constituído por todos os secretários municipais, juntamente com profissionais das áreas técnicas: Atenção Primária, Saúde Bucal, Vigilância em Saúde e Gerência Pedagógica. Através dele, foram pautadas as ações a serem realizadas em todo o município. É importante frisar que o município foi pioneiro nessa questão, tomando as medidas antes mesmo do posicionamento do estado de Alagoas.
Dentre as ações pautadas, foram suspensas as aulas presenciais da rede municipal de ensino, pública e privada, suspensão dos atendimentos eletivos das equipes de saúde, suspensão dos atendimentos nos órgãos públicos e reorganização dos serviços de saúde. Tais medidas serão exploradas no decorrer desse relatório.
2.2 Elaboração do Plano de Contingência Municipal do Novo Coronavírus
Foi elaborado o plano de contingência, a fim de estabelecer as diretrizes para o enfrentamento da COVID-19, seguindo as diretrizes e normativas do Ministério da Saúde e Secretária de Estado da Saúde de Alagoas. O plano estabelece orientações de natureza técnica e operacional relativas à gestão coordenada nos diferentes níveis de resposta do setor saúde à emergência, envolvendo a capacitação dos profissionais na identificação dos casos, higienização, detecção, notificação e investigação de casos e contatos suspeitos, monitoramento dos casos, suporte laboratorial e assistência aos casos suspeitos e confirmados, desde a atenção básica até a atenção hospitalar.
As mídias sociais foram fortalecidas, com ampla divulgação sobre a doença, rede de acolhimento ao paciente suspeito e números para denúncias ou esclarecimentos, sendo estes da Vigilância Epidemiológica, Guarda Municipal e Hospital José Enoque de Barros, além de um boletim diário com as informações epidemiológicas do município.
2.3 Aquisição de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs)
Visando a garantia da continuidade dos atendimentos e prevendo a alta demanda dos equipamentos de proteção individual, foi realizado um processo de aquisição de álcool em gel 70%, álcool líquido 70%, aventais descartáveis, gorros descartáveis, luvas cirúrgicas, máscaras cirúrgicas, máscaras N95, macacões impermeáveis, protetores faciais e óculos de proteção, que foram distribuídos conforme a demanda dos serviços de saúde, garantindo assim a segurança dos profissionais que estão na linha de frente.
Além disso, foram adquiridas máscaras triplas, sendo estas enviadas para as unidades de saúde para serem entregues aos pacientes, pois, embora a utilização das máscaras seja obrigatória em todo o território estadual, alguns pacientes ainda comparecem às unidades sem o equipamento.
A liberação dos equipamentos é realizada mediante solicitação pelas equipes de saúde para sua chefia imediata. Junto com o equipamento também é entregue um termo de recebimento e responsabilidade, onde o profissional toma ciência do que está recebendo e de sua responsabilidade com o mesmo.
2.4 Aquisição de testes rápidos para diagnóstico
Considerando a dificuldade na realização do diagnóstico através do exame RT-PCR, em decorrência da grande demanda do estado, o município adquiriu testes rápidos para diagnóstico, sendo estes distribuídos para os serviços de saúde (unidades básicas, hospital municipal e hospital de campanha), a fim de identificar os pacientes infectados o mais precoce possível e iniciar o tratamento.
O município recebeu do Estado 800 testes rápidos e adquiriu mais 2540 unidades. Após a notificação do caso como suspeito, os testes são realizados pelas equipes de saúde (enfermeiro e médico) e, mediante resultado positivo, o paciente é encaminhado para avaliação médica e início do protocolo terapêutico. Além disso, o paciente recebe e assina um termo de responsabilidade e isolamento, com as orientações necessárias. Da mesma forma, quando o paciente recebe alta médica, é emitido um termo de alta por escrito, ficando uma cópia com o paciente e outra com a equipe de saúde.
2.5 Distribuição de máscaras de tecido e kits de higiene para a população
Foram confeccionadas 40.000 máscaras de tecido para distribuição aos munícipes pelas equipes da secretaria de saúde, educação e departamento de indústria e comércio. A entrega foi realizada no comércio local, bancos e lotéricas, além dos domicílios, tanto na zona urbana como na zona rural.
Até o momento, 38.900 máscaras já foram distribuídas à população, restando apenas 1.100 unidades que estão sendo enviadas às localidades.
Os munícipes em situação de vulnerabilidade também receberam kits de higiene em suas casas, juntamente com orientações sobre as medidas de prevenção. A entrega foi realizada pelos agentes comunitários de saúde, que também forneceram máscaras e orientações sobre as medidas de prevenção e combate à COVID-19.
Entregas de kits de higiene aos munícipes em situação de vulnerabilidade social.
Fonte: Girau do Ponciano, 2020.
2.6 Segurança alimentar
Com o objetivo de garantir a segurança alimentar de seus alunos e munícipes mais vulneráveis, o município criou o Grupo Técnico de Segurança Alimentar  e montou cestas básicas com o estoque de merenda escolar disponível, sendo a distribuição realizada com o auxílio das Secretarias Municipais de Agricultura, Saúde e Educação. Para tanto, o município foi dividido em 19 rotas de distribuição, de forma que os agentes comunitários de saúde foram são constantemente informados sobre os dias e horários de entrega, para que os munícipes sejam avisados e aguardem a entrega em suas casas.
No primeiro ciclo de entrega das cestas, foram distribuídas cerca de 11.000 unidades. Atualmente, está sendo realizado o segundo ciclo de distribuição. É importante ressaltar que todas as entregas são realizadas casa a casa, evitando assim que haja deslocamento ou aglomeração.
2.7 Barreiras Sanitárias
Com o intuito de orientar os transeuntes do município acerca das medidas de prevenção da COVID-19, como a higienização das mãos, utilização de álcool em gel e máscaras e distanciamento social, foram realizadas na zona urbana e rural, contando com equipes da Secretaria de Saúde, SMTT e Guarda Municipal.
Além das orientações, foram realizadas aferição de temperatura e entrevistas a fim de identificar as pessoas com possíveis sinais e sintomas da COVID. Quando identificadas, essas foram encaminhadas para a sua unidade de saúde de referência, para que fosse realizado o acompanhamento e o teste para diagnóstico. Na tabela I encontram-se os resultados das barreiras realizadas.
Tabela 01 – Resultados das barreiras sanitárias realizadas.
LOCALIDADE
DATA
PESSOAS ABORDADAS Zona Urbana: • Av. Tiradentes • Rodovia AL 187 04 de maio Veículos – 1.330 Total de pessoas – 3.776 Pacientes monitorados para teste rápido – 11
Zona Urbana:
• Av. Tiradentes
• Rodovia AL 187
11 de maio
Veículos – 3.733
Total de pessoas – 5.469
Pacientes monitorados para teste rápido – 0 Zona Rural: • Sítio Poço 25 de maio Veículos – 176 Total de pessoas – 359 Pessoas monitoradas para teste rápido – 0
Zona Rural:
• Ass. Paraná
26 de maio
Veículos – 125
Total de pessoas – 207
Pacientes monitorados para teste rápido – 0 Zona Rural: • Pov. Lagoinha 26 de maio Veículos – 65 Total de pessoas – 85
15
Pacientes monitorados para teste rápido – 0
Zona Rural:
• Pov. Alecrim
27 de maio
Veículos – 107
Total de pessoas – 136 pessoas
Pacientes monitoradas para teste rápido – 0 Zona Rural: • Pov. Lagoa Grande do Jatobá 28 de maio Veículos – 112 Total de pessoas – 238 Pessoas monitoradas para teste rápido – 0
Zona Rural:
• Pov. Jaciobá
29 de maio
Veículos – 59
Total de pessoas – 183
Pessoas monitoradas para teste rápido – 0 Zona Urbana: • Av. Tiradentes • Rodovia AL 187 01 de junho Veículos – 3.235 Total de pessoas – 4.360 Pessoas monitoradas para teste rápido – 0
Zona Rural:
• Dist. Canafístula do Cipriano
01 de junho
Veículos – 328
Total de pessoas – 510
Pacientes monitorados para teste rápido – 0
Zona Rural: • Pov. Balanças 02 de junho Veículos – 59 Total de pessoas – 146 Pacientes monitorados para teste rápido – 04
Zona Rural:
• Pov. Quebradentes
03 de junho
Veículos – 100 Total de pessoas – 127
Pacientes monitorados para teste rápido – 0 Zona Rural: • Pov. Caldeirões 05 de junho Veículos – 133 Total de pessoas – 560 Pessoas monitoradas para teste rápido – 0
Zona Rural:
• Ass. Sete Casas
08 de junho
Veículos – 29
Total de pessoas – 70
Pessoas monitoradas para teste rápido – 0 TOTAL 9.591 veículos 16.226 pessoas
Fonte: Girau do Ponciano, 2020.
Figura 11 e 12: Barreiras sanitárias realizadas na zona urbana. Fonte: Girau do Ponciano, 2020.
Figuras 13 e 14: Barreiras sanitárias realizadas na zona rural.
Fonte: Girau do Ponciano, 2020.
2.8 Sanitização das ruas e órgãos públicos
As ruas da cidade e dos principais distritos do município foram sanitizadas, bem como os órgãos públicos (Figuras 15 e 16).
Figuras 15 e 16: Sanitização das ruas.
Fonte: Girau do Ponciano, 2020.
2.9 Organização do comércio local e correspondentes bancários
Com o intuito de evitar aglomeração e manter o distanciamento social, foram demarcados, em frente aos correspondentes bancários, locais com distância de 1,5 metro e instaladas tendas, para que as filas pudessem ser organizadas (Figura 17). Ademais, em cada departamento comercial, foi colocado um funcionário público munido de álcool 70%, garantindo assim a higienização e evitando a superlotação dos locais. Também foram instalados totens com álcool gel 70% nas praças e principais ruas da cidade.
A feira livre com feirantes de outros municípios foi cancelada, mantendo-se uma feira com comerciantes locais, duas vezes por semana, com horário reduzido e sanitização das ruas.
2.10 Protocolo Terapêutico para Tratamento Precoce
Foi elaborado pelo coordenador estratégico do GT de enfrentamento à COVID-19 e diretor médico do Hospital Municipal de Campanha um protocolo terapêutico para o tratamento precoce, sendo este apresentado e discutido com toda a equipe de saúde do município (Anexo F). O objetivo é de tratar o maior número de pacientes possíveis precocemente, a fim de evitar o colapso do sistema de saúde municipal. Nele, constam medicações a serem utilizadas em casos leves, moderados e graves, bem como as orientações necessárias.
Tem sido realizado um trabalho com as mídias digitais, estimulando os pacientes a buscarem orientação médica já no primeiro sintoma, pois assim é possível evitar a evolução da doença e possíveis internações. Um ponto importante a ser considerado é que o tratamento precoce foi instituído no município de forma pioneira, contrastando com a diretriz inicial do Ministério da Saúde, que recomendava a busca por atendimento médico somente nos sintomas moderados a graves e só passou a orientar procura médica nos primeiros sintomas após o dia 09 de julho de 2020.
2.11 Aquisição de medicamentos
Para garantir o tratamento dos munícipes, foram adquiridos os medicamentos utilizados no tratamento da COVID-19 e também as medicações para tratamento das comorbidades, que podem levar a complicações. Desses medicamentos, a Azitromicina e a Ivermectina são liberadas exclusivamente na Farmácia Central, pois, considerando a procura elevada, torna-se necessário um maior controle da dispensação. Já a Enoxaparina, o Oseltamivir e a Hidroxicloroquina são de dispensação exclusiva para o ambiente hospitalar, ou seja, para os pacientes internados no Hospital de Campanha.
Também foi adquirido o fármaco Cetotifeno, que consiste em um antialérgico utilizado para profilaxia de infecções das vias respiratórias altas. Essa medicação foi distribuída para as unidades de saúde com o objetivo de prevenir infecções das vias respiratórias que pudessem ser confundidas com a infecção por coronavírus. A prescrição é feita pelo médico da unidade, após avaliação do paciente, constatação dos quadros alérgicos e preenchimento de ficha clínica específica (Anexo G).
2.12 Atenção Primária à Saúde
2.12.1 Equipes da Estratégia de Saúde da Família
Na Atenção Primária, todas as equipes de saúde passaram por capacitação com diversos temas relacionados ao coronavírus: sinais e sintomas, diagnóstico, tratamento, realização de testes rápidos, paramentação e desparamentação.
2.12.2 Atendimentos
Em relação aos atendimentos, foram priorizados os pacientes suspeitos e confirmados de COVID-19. Os demais atendimentos eletivos, a exemplo do pré-natal e programa Hiperdia, incialmente suspensos, foram retomados e estão sendo realizados de forma agendada, com horário marcado, evitando aglomeração na recepção, excetuando-se os casos de urgência e emergência.
As equipes de saúde bucal tiveram seus atendimentos eletivos suspensos, seguindo os orientações do Decreto Municipal e dos Conselhos Federal e Regional de Odontologia, em decorrência do alto risco de contágio, visto que todos os procedimentos odontológicos envolvem o contato com secreções dos pacientes, geração de aerossóis, além da proximidade do profissional com o cavidade oral do paciente. Todavia, os profissionais continuam nas unidades de saúde, tanto para atender urgências e emergências odontológicas como auxiliando na triagem dos pacientes que comparecem à unidade.
Os agentes comunitários de saúde foram capacitados acerca da importância da utilização dos equipamentos de proteção individual (máscara N95, gorro e óculos de proteção) e medidas preventivas.
Capacitação sobre EPIs com ACSs.
Em relação às visitas, os ACSs têm realizado buscativa de pacientes sintomáticos, mediante visita e preenchimento de formulário contendo perguntas acerca dos sinais e sintomas de COVID, com posterior agendamento das consultas na UBS, notificação e avaliação para a realização de teste rápido. Essa busca tem como objetivo identificar os pacientes infectados o mais precoce possível, para um melhor controle da patologia e evitando assim as subnotificações.
Caso o paciente apresente algum quadro que o impeça de se deslocar à unidade, a equipe de saúde é avisada e realiza visita domiciliar com enfermeiro e médico. Caso haja necessidade, diante de um quadro moderado ou grave, o paciente pode ser regulado para o Hospital Municipal de Campanha.
É importante ressaltar que os testes rápidos são realizados após 10 dias do início dos sintomas, pois, como já evidenciado em estudos, estes apresentam uma janela imunológica, podendo dar resultado falso negativo se realizado antes desse período.
Aos finais de semana, quando as unidades de saúde não estão em funcionamento, uma equipe de suporte fica disponível para qualquer intercorrência, realizando visitas domiciliares, avaliação dos pacientes e testes diagnósticos.
As informações sobre os atendimentos encontram-se na tabela 02.
Tabela 02 – Atendimentos de pacientes suspeitos de COVID-19 na Atenção Primária.
Casos notificados
Casos confirmados
Casos descartados
Suspeitos
2.12.3 Estrutura e funcionamento
As UBSs continuam funcionando no período matutino (08h às 12h) e vespertino (13h às 17h). Todas as unidades já dispunham de dispensers de álcool em gel 70%, sabonete líquido e papel toalha para higienização.
As farmácias das UBSs são reabastecidas mensalmente com as medicações da farmácia básica, mediante solicitação à Coordenação de Assistência Farmacêutica. Em relação às medicações utilizadas para o tratamento da COVID-19, são liberadas pela farmácia das UBSs: Paracetamol, Dipirona, Vitamina C e Prednisolona. Todavia, medicações como Azitromicina e Ivermectina são liberadas somente na Farmácia Central, através da entrega da receita médica e atrelado à cópia da ficha de notificação do caso, que é enviada pela equipe de saúde. Em relação ao Cetotifeno, este é dispensado nas farmácias das unidades básicas, mediante receita do médico da rede.
2.13 Vigilância em Saúde
Os agentes da vigilância sanitária e agentes comunitários de endemias tem trabalhado em conjunto com a Atenção Primária e Guarda Municipal, realizando ações como: visitas a pessoas recém-chegadas de outros estados ou municípios, visitas ao comércio local para observar o cumprimento das normas de distanciamento social e de higiene, barreiras sanitárias, acompanhamento dos velórios para evitar aglomerações.
A vigilância também tem participado das capacitações dos profissionais, incluindo profissionais da saúde, coveiros, profissionais da educação, entre outros.
2.14 Centro de Atenção Psicossocial – CAPS
Neste período de pandemia, foram suspensas as atividades coletivas e grupos terapêuticos no Centro de Atenção Psicossocial (CAPS). Está sendo realizado atendimento médico agendado de forma criteriosa, a fim de evitar aglomerações no serviço, bem como o atendimento da equipe da equipe multiprofissional, visitas domiciliares e atendimentos em situações de crise. A dispensação e a administração de medicação dos usuários estão ocorrendo normalmente.
2.15 Serviço de Atendimento Domiciliar – SAD (Programa Melhor em Casa)
As visitas domiciliares e atendimentos da equipe multidisciplinar que atua no Programa Melhor em Casa estão ocorrendo normalmente. A equipe tem dispensado atenção especial aos pacientes, uma vez que todos fazem parte do grupo de risco para a COVID-19.
2.16 Clínica de Especialidades
Os atendimentos na Clínica de Especialidades passaram a ser de forma agendada, com marcação de horário, evitando assim aglomeração na recepção. Na clínica, só é permitida a entrada de pacientes com máscara, além disso, na recepção fica à disposição do paciente álcool em gel 70% para higienização. A marcação é feita via sistema de regulação, na Secretaria de Saúde, e o paciente é informado acerca do dia e horário do agendamento.
A clínica conta com os serviços de Ginecologia e Obstetrícia, Pediatria, Psiquiatria e exames de ultrassonografia e eletrocardiograma.
2.17 Programa de Valorização da Melhor Idade
O serviço de pilates voltado aos idosos, que aconteciam na Academia de Saúde, foram suspensos temporariamente, em decorrência de serem atendimentos em grupo e com pacientes do grupo de risco.
No caso da acupuntura e venosaterapia, os atendimentos passaram a ser em domicílio. Em relação aos atendimentos de Fisioterapia, foi adotada a telefisioterapia, sendo disponibilizado um telefone para que os pacientes possam entrar em contato com os fisioterapeutas e recebam orientações.
2.18 Hospital Municipal José Enoque de Barros
A equipe de saúde do Hospital Municipal José Enoque de Barros recebeu capacitação com diversos temas relacionados ao coronavírus: sinais e sintomas, diagnóstico, tratamento, realização de testes rápidos, paramentação e desparamentação. Além disso, foi instalado um lavabo na entrada do hospital, para que os pacientes pudessem realizar a higienização das mãos de forma adequada.
Atualmente, o Hospital José Enoque funciona em uma estrutura adaptada, visto que está passando por reforma. O hospital dispõe de uma sala para acolhimento aos pacientes sintomáticos respiratórios e, assim como os demais serviços de saúde, dispões de testes rápidos para diagnóstico da COVID-19. Ao acolher um paciente, é feito o atendimento médico, o caso é notificado e passado para a equipe de saúde de referência, para que a mesma realize o acompanhamento. Caso haja necessidade, o paciente pode ser regulado para o Hospital Municipal de Campanha.
2.19 Central de Triagem
Anexo ao Hospital Municipal José Enoque de Barros, foi instalada a Central de Triagem, com funcionamento 24 horas por dia, sendo uma equipe composta por enfermeiro, médico e técnico em Enfermagem. Trata-se de um serviço exclusivo para a triagem de pacientes com sinais gripais. Optou-se pela instalação no Hospital José Enoque por este ser um serviço porta aberta que tem recebido todos os dias pacientes suspeitos de COVID-19. A central possui toda a infraestrutura, materiais e insumos necessários para o atendimento aos pacientes, incluindo testes diagnósticos e medicações.
Todos os casos notificados na Central de Triagem serão informados para a unidade de saúde de referência, a fim de que seja realizado o acompanhamento pela equipe de saúde da família.
2.20 Hospital Municipal de Campanha contra a COVID-19
Conveniado com o Governo do Estado, o município instalou no Ginásio de Esportes Djalma Nunes, o Hospital Municipal de Campanha contra a COVID-19.
2.20.1 Estrutura
Foi montada uma estrutura em Octanorm dentro do ginásio, sendo esta subdividida em 16 leitos de enfermaria, 10 leitos de UTI, 02 postos de enfermagem, banheiro para pacientes, salas de paramentação e desparamentação, recepção, sala de descanso, expurgo, farmácia, almoxarifado, depósito para material de limpeza e necrotério. Fora da estrutura hospitalar em si, foi montado um refeitório, uma sala de convivência e duas salas de descanso para os profissionais.
A estrutura foi planejada de forma a ser dividida de acordo com a sujidade das áreas, sendo estabelecido um fluxo de acordo com as áreas críticas, semi-críticas e não-críticas, reduzindo assim o risco de contaminação tanto para os profissionais como para os pacientes.
2.20.2 Equipe
A equipe assistencial do hospital é coordenada pelo Dr. André Luis Chaves Valente (Diretor Médico) e pela Enfermeira Katyenny Christine Alessandra da Silva (Coordenadora de Enfermagem), sendo composta por: enfermeiros, médicos, técnicos em enfermagem, fisioterapeutas, assistentes sociais, farmacêuticos, assistentes de farmácia, assistentes administrativos, psicólogo, nutricionista e padioleiros. Além disso, há uma equipe de auxiliares de serviços gerais, porteiros e auxiliares de manutenção.
Fora do hospital, há uma equipe do Serviço de Nutrição Dietética, que atua sete dias por semana, composta por duas nutricionistas e dezesseis cozinheiras, sendo estas responsáveis pela produção da alimentação dos pacientes internados e também dos funcionários. Todos os profissionais que atuam no Hospital de Campanha receberam capacitações acerca de paramentação, desparamentação, parada cardiorrespiratória e intubação.
2.20.3 Equipamentos, materiais e insumos
No que tange aos equipamentos, parte deles foram adquiridos mediante aluguel com empresas especializadas (oxímetros, ventiladores mecânicos, bombas de infusão, monitores) e outra foi comprada pelo município (vinte bombas de infusão, um aparelho de raio X, uma autoclave, desfibrilador, aparelho de gasometria, aparelho de eletrocardiograma, central de gases, computadores, impressoras). Vale ressaltar que todos os equipamentos que foram comprados serão utilizados, tão logo passe a pandemia, no Hospital Municipal José Enoque de Barros, que atualmente passa por uma reforma.
Em relação aos materiais e insumos, estes foram adquiridos pelo município em quantidade estimada para seis meses, sendo acondicionados no almoxarifado do próprio hospital e no almoxarifado central do município.
2.20.4 Serviços
O Hospital de Campanha iniciou suas atividades em 31 de maio de 2020, com 10 leitos de UTI e 16 leitos de enfermaria e regulação restrita ao município, podendo esta ser via unidade de saúde ou hospital municipal. A regulação estadual foi aberta no dia 21 de junho de 2020.
Uma vez interno no hospital de campanha, o paciente recebe toda a assistência, a exemplo de medicações e exames laboratoriais, eletrocardiograma, gasometria arterial e exames de imagem (raio X e tomografia computadorizada).
Dentre as medicações, fármacos como Enoxaparina, o Oseltamivir e a Hidroxicloroquina são de dispensação exclusiva para os pacientes internos no Hospital de Campanha.
Os exames laboratoriais são coletados no hospital e enviados para o laboratório credenciado, os exames de eletrocardiograma, gasometria arterial e raio X são realizados no próprio hospital, enquanto as tomografias são realizadas no Hospital Chama, que mantém convênio com o município.
Em relação aos procedimentos post-mortem, o corpo é acondicionado em sacos de óbitos impermeáveis e levado ao necrotério para que seja retirado pela família e sepultado imediatamente.
Tabela 03 – Atendimentos no Hospital Municipal de Campanha contra a COVID-19.
Pacientes internados
Pacientes de outros municípios
Altas hospitalares
Óbitos 101 26 60 18* *09 óbitos de outros municípios.
REFERÊNCIAS
BELASCO, A.G.S.; FONSECA, C.C. Coronavírus 2020. Revista Brasileira de Enfermagem, v.73, n.2, p.27-29, 2020.
LANA, R.R.; COELHO, F.C.; GOMES, M.F.C. et al. Emergência do novo coronavírus (SARS-CoV-2) e o papel de uma vigilância nacional em saúde oportuna e efetiva. Cad. Saúde Pública, v.36, n.3, p.34-39, 2020.
Fonte Girau do Ponciano 2020